Resenha: Capitão América O Primeiro Vingador

  • Título Original: Captain America: The First Avenger 
  • Direção: Joe Johnston 
  • Gênero: Ficção, Aventura e Ficção Científica 
  • Duração: 2h04min 
  • Distribuidora: Paramount Pictures 
  • Estreia: 29 de julho de 2011 




  • Olá Acciers,

    Hoje trago a primeira resenha da coluna Animes, Séries e Filmes. Como prometi no outro post (clique aqui) vou trazer a ordem certa para vocês assistirem aos filmes da Marvel. Então se você quer começar a adentrar o mundo dos super-heróis, mas não sabe por onde começar, se liga aqui no blog.

    O primeiro filme que você deve assistir é Capitão América: O Primeiro Vingador



    Em Capitão América: O Primeiro Vingador é contada a história da origem do Capitão América, que se passa nos anos 40. A caracterização das roupas e cenários é muito boa, e as cores que o filme traz contribuem com a sensação de antiguidade.

    O início do filme mostra uma busca no meio do gelo, onde é achado o escudo do Capitão. Essa cena na verdade faz parte do final, e depois dela é que é contada a história do começo.

    Não espere super-poderes extraordinários como voar, soltar teias ou emitir luz de calor pelos olhos. O Capitão América é um homem comum que tem força sobrenatural e agilidade, mas que ainda assim é vulnerável. 

    Mas quem está por trás do Capitão América?

    Steve Rogers era um cara franzino, magricela que queria a todo custo ajudar os Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial. Ele se alista no Exército, mas é recusado inúmeras vezes pela sua frágil saúde. Então ele se voluntaria como cobaia num teste de um soro que transformaria as pessoas em super-soldados. O teste é um sucesso e ele vira o Capitão América. Mas o cientista que cria a fórmula do soro é assassinado, então o Capitão América é um super-soldado, mas será o único. 

    Ele é colocado num programa de treinamento e depois, recebe sua primeira missão. Com seu conhecimento de batalha e armado com seu indestrutível escudo, fabricado pelas Indústrias Stark, que na época era comandada por Howard Stark, pai de Tony Stark - o Homem de Ferro-,  ele passa a lutar contra o mal.

    O interessante do filme é que ele nos traz uma mensagem: nunca desistir dos nossos sonhos. Nunca desistir dos nossos objetivos. Steve Rogers queria servir ao seu país e mesmo sendo eliminado em cinco exames, ele ainda continuou persistindo e tendo a esperança de que um dia conseguiria chegar lá. E conseguiu.

    O fato do Steve Rogers ter virado  o Capitão América representa toda a voluntariedade, o desejo de lutar pelos EUA, que estava em desvantagem na segunda grande guerra. A Alemanha estava com força total, conquistando território. Inspira-se também em toda a campanha do Tio Sam: EU QUERO VOCÊ PARA O EXÉRCITO DOS ESTADOS UNIDOS!



    Outra coisa interessante no Capitão América é que ele não usa armas, apenas um escudo. Ou seja, até mesmo quando ele está atacando, ele faz isso para se defender. E seus inimigos representam todo esse ideal nazista: Hitler, Caveira Vermelha e Hidra. 

    Uma curiosidade é a primeira edição da revistinha do Capitão América em que ele aparece dando um soco na cara do Hitler. Denota-se a importância desse super-herói como o cara que foi feito para lutar na Segunda Guerra Mundial e para mostrar os ideais americanos na guerra. 



    O filme não tem muita ação, mas o enredo da história é ótimo! Recomendo o filme, é claro. Mas também recomendo as HQs do Capitão América que você pode encontrar na internet disponível para download. Aqui você encontra as edições.







    Resenha: Sonata em Punk Rock


  • Editora: Gutenberg
  • Autora: Babi Dewet
  • Páginas: 300
  • Série: Cidade da Música
  • Skoob


  • Sonata em Punk Rock
    Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos. No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock and roll, mas sim toda a Cidade da Música.


    Estou me apaixonando mais e mais a cada nacional que leio. Tenho tido leituras prazerosas e fascinantes, e poder estar em contato com esses autores é ainda mais espetacular. E a resenha que trago hoje é daquelas que faz você implorar por uma continuação. 

    A história é sobre Valentina, ou Tim, como prefere ser chamada, uma garota que ama música, especialmente rock'n' roll, e que deseja estudar no conservatório mais importante do país, a Academia Margareth Vilela. O grande impasse é que Tim e sua mãe não possuem condições financeiras para financiar os estudos na Academia. Eis que, surgido das cinzas, like a fenix, aparece o pai de Tim, que a abandonou há anos atrás. Querendo se redimir ele se oferece para pagar os estudos da filha.
      

    A ajuda do cretino realizaria seu sonho e daria a ela um futuro. E se fosse uma grande musicista, poderia mudar o destino de sua mãe também.

    Chegando ao conservatório, Tim descobre estar fora dos padrões. Nem tudo são flores, há muita diversidade e preconceito para com aqueles que não gostam de música clássica. 

    Mas pensam que isso intimida Tim? Ela é Rock'n'Roll, e não finge ser alguém que não é somente para ser aceita. Ela é sincera, forte e inteligente. Não gostou? Dane-se! Mas todo esse jeito rockeira é compensado quando faz amizades verdadeiras na instituição. E a leitura fica super divertida quando vemos as peripécias de Tim e seus amigos "estranhos".

    A história toma um novo curso quando conhecemos Kim, o pianista mais famoso do conservatório. Um personagem complexo, cheio de dramas familiares e pessoais, que não se apega a nada nem ninguém, apenas a sua música.

    No decorrer da história aprendemos a desvendar algumas características de Kim e compreender seu jeito enigmático. Apesar de ser um deus grego coreano - Oi?! - ele não é exatamente aquele cara apaixonante. Na verdade, ele é bem chato, irritante e muito egocêntrico. Mas Tim, com sua personalidade única, nos faz gostar dele. Ela expõe seu lado 'sociável'. 


    Se não for difícil, não tem esforço. E, se não tiver esforço, ninguém se torna mais do que medíocre.



    Babi Dewet está de parabéns, é o primeiro livro dela que leio, mas sinceramente, não será o último. A história é muito bem escrita, possui uma riqueza nos detalhes. E a Cidade da Música?! Shut up and take my money! Eu quero morar lá *-* *-*

    Leia, leia e leia! Para você, que como eu, ama rock'n'roll e ainda consegue suspirar ouvindo um clássico, ou pra você que adora uma história bem escrita, este livro é feito para você! Para nós ✌









    Animes, Séries e Filmes!

    Olá, Acciers :D

    O blog terá uma nova coluna: Animes, Séries e Filmes ❤



    Resultado de imagem para gif plateia aplaudindo


    Quem me conhece sabe que sou viciada em animes e super-heróis ✌ Por essa razão trago essa coluna para o blog. Um espaço interativo para falar sobre os animes que assisto, bem como séries e filmes.
    Quem me acompanha no instagram sabe que faço a Maratona Marvel, onde assisto numa sequência correta os filmes e seriados dos super-heróis.



    Resultado de imagem para gif super herois



    Vou postar nessa coluna a sequência correta para assistir aos filmes e seriados que falei, bem como um tutorial TOP para assistir paralelamente algumas séries que se entrelaçam em alguns episódios.



    Imagem relacionada



    Curiosidades, readaptações de livros, resenhas, trailers, novidades sobre o mundo cinematográfico. Tudo isso você encontrará no blog Accio Books, então não deixe de seguir o blog e a fanpage


    Resultado de imagem para gif beatles mandando beijo





    Resenha: Como Conquistar o Chefe




  • Editora: Harlequin
  • Autora: Laura Anthony
  • Páginas: 122
  • Coleção: Romances Nova Cultural - Julia
  • Skoob

  • Como Conquistar o Chefe






    "O homem que, pensava eu, era Mike Barr, o carteiro da companhia, é ninguém menos que o novo presidente Rex Michael Barrington III! Como ele se atreve a me cortejar com beijos, sem me contar que é um milionário disfarçado? E se ele me der um sorriso de parar o coração e eu não puder dormir sem sonhar em casar-me com o chefe? Será preciso mais do que um olhar "chega mais" para que eu consiga abrir meu coração para ele de novo. Bem, ao menos, espero que sim..."








    Sophia Shepherd é uma garota de vinte e nove anos, muito bonita, que teve uma infância pobre e uma educação rígida. Sua mãe, Janette, conheceu seu pai com quem achou que seria feliz, mas ele a enganou apenas para levá-la para cama. Quando Janette engravidou ele quis que ela abortasse. Logo mais ela descobriu que ele era um homem casado. 

    Sophia nasceu e foi criada de maneira a acreditar que atração sexual era algo horrível, que apenas deturpava a razão. Que ela devia se casar com alguém rico que lhe assegurasse financeiramente. Assim, Sophia se perdia em devaneios imaginando no dia que se tornaria a Sra. Rex Michael Barrington III.

    Mike Barr era o carteiro da companhia Barrington. Um cara respeitado, amado pelos colegas de trabalho, mas possuía uma espírito aventureiro, desapegado que fazia aumentar os boatos de que era um mulherengo que não se apegava a nada e ninguém. Exatamente o tipo de homem que Sophia queria distância.

    Depois de dez anos na Alemanha cuidando dos negócios da empresa na Europa, Rex Michael Barrington III retorna para casa, mas como não é conhecido por ninguém foi fácil se passar por carteiro da própria empresa que será empossado novo presidente e conhecer os escalões inferiores. Agora ele era Mike Barr.

    Fora uma experiência fantástica, mas nem sempre confortável. Pegara um funcionário roubando e outro vendendo segredos comerciais a um concorrente.

    A história se desenrola quando Mike, sabendo que Sophia sentia uma forte atração por ele, resolve "dar-lhe uma lição". Sabendo que Sophia tenciona casar com alguém que nunca viu, mas apenas por seu dinheiro, ele deseja conquistá-la e provar se ela é uma caça-dotes ou se teria a capacidade de perceber o erro que cometia em ir atrás de um relacionamento por riqueza e não por amor. 

    Mike, o responsável pela correspondência, seria capaz de fazer com que Sophia Shepherd se apaixonasse?

    O que ele não esperava era que muito além de uma atração física ou paixão, esse plano resultou em amor. Michael a amava, e mesmo sabendo que Sophia sentia algo forte por ele não era o bastante para fazê-la desistir da ideia de conquistar um milionário que não conhecia. 

    Mas não a julguem! Sophia é uma mulher doce e sonhadora, que fora influenciada pela mãe, que tinha raiva dos homens depois de ter sido enganada e abandonado pela pai de Sophia. Por isso a necessidade de casar-se com um homem que cuidasse dela. E Mike Barr não era esse homem, ele não poderia oferecer-lhe o que tanto procurava: confiança, honestidade, verdade, estabilidade e responsabilidade. 

    _ Acha que não posso ser esse homem?                                                                                     _ Não, não acho.

    Mas como numa bela história de romance o amor vence. E juntos aprenderão que a riqueza não compra a felicidade, e que o trabalho não compra a segurança. Só o amor e a confiança podem nos dar um pouco de paz.

    Uma história despretensiosa, leitura simples e agradável, feita para as meninas suspirarem. Suas páginas são amareladas e o título do livro já é bem sugestivo.

    Recomendo!

    Resenha: O que toda mulher inteligente deve saber

  • Editora: Sextante
  • Autores: Steven Carter & Julia Sokol
  • Páginas: 124
  • Titulo Original: What Smart Women Know
  • Skoob


  • Imagem relacionada
    As mulheres inteligentes sabem que existem duas maneiras de aprender a lidar com os homens - uma fácil e outra difícil. O problema é que a maioria das mulheres se tornam inteligentes da segunda forma, passando por experiências que deixam cicatrizes, mágoas e insegurança. Baseados em histórias de pessoas que, como nós, já investiram em relacionamentos que não deram certo, perderam noites chorando e esperando telefonemas que nunca aconteceram, eles dão valiosas dicas para evitarmos os mesmo erros novamente. Qualquer mulher que tenha se apaixonado pelo menos uma vez na vida vai se reconhecer nessas histórias, rir de si mesma e descobrir que o amor verdadeiro é muito mais do que coração disparado e pernas bambas. Com a ajuda deste livro, você vai aprender também:
    • Os 11 mandamentos da mulher inteligente
    • Como distinguir os homens certos dos errados
    • Quando acreditar no que ele diz e quando cair fora
    • Como identificar um homem potencialmente violento
    • Como lidar com uma separação
    O que toda mulher inteligente deve saber vai ajudar você a escolher relacionamentos que lhe permitam crescer e sobretudo tornar-se a pessoa mais importante de sua própria vida.


    Quando comecei a ler esse livro pensei "Ah! Tudo o que toda mulher já sabe". Ok, mas então por que sofremos tanto em relacionamentos ou com o término deles? Porque aprendemos a lidar do jeito difícil. Ouvi e li diversas críticas, mas o livro não é nada mal. O meu exemplar está repleto de post-its. 

    O livro mostra, através de histórias de mulheres que tiveram relações conturbadas, a nos valorizarmos mais. E apesar de ser tudo tão óbvio amadureci com essa leitura. Fazendo o tipo "vou te infernizar por que sou infantil mas não admito e você tem que me engolir" eu criava tempestade em copo d'água. Mas depois de ler algumas citações, pensamentos comecei a tomar mais cuidado com minhas ações no meu relacionamento.

     Uma mulher inteligente sabe que ser inteligente significa deixar sua inteligência controlar suas emoções, e não o inverso.

    E é justamente isso que o livro quer que entendamos. Ele não é um manual para nos privar do que somos e de como agimos, entretanto nos faz ter consciência de nossas ações automáticas. Quando um relacionamento não vai bem, e esse relacionamento pode ser consigo mesma, temos que voltar para o nosso comportamento e avaliar "O que eu fiz? O que eu posso fazer?"

    A única pessoa que você é totalmente compatível é você mesma.

    Lidar com outra pessoa não é tarefa fácil, sempre haverá discussões. E o que devemos saber é que somos especiais, com ou sem um homem em nossas vidas. E que um relacionamento deve ser algo prazeroso, divertido e que te ajude a amadurecer e crescer. 


    Experiência é o que você obtém quando não obtém o que quer.

    Diante de tantas histórias apresentadas no livro e que são tão previsíveis, algumas comuns a nossas próprias histórias, devemos ficar com as experiências. Pois são com elas que aprendemos a lidar com tudo o que nos cerca, e em especial, os homens. 

    Recomendo a leitura, tem o perfil de autoajuda, mas não é uma leitura chata. 

    Que livro vendeu mais no seu ano de nascimento?



    Olá Acciers,
    Trago hoje uma lista muito interessante... A lista dos livros mais vendidos desde os anos 70. 
    Que tal conferir que livro bateu record de venda no ano do seu nascimento, hein?! ;)

    ANOS 70

    1975
    Brasil – Gabriela, Cravo e Canela, Jorge Amado
    Estados Unidos – A Saga do Colorado, James Michener
    1976
    Brasil – Araceli, Meu Amor, de José Louzeiro
    Estados Unidos – Triniy, Leon Uris
    1977
    Brasil –
    Estados Unidos – Pássaros Feridos, Colleen McCullough
    1978 
    Brasil- Conversa na Catedral, Mario Vargas Llosa
    Estados Unidos – A Herdeira, Sidney Sheldon
    1979
    Brasil – Farda, Fardão, Camisola de Dormir, Jorge Amado
    Estados Unidos – O círculo Matarese, Robert Ludlum

    ANOS 80

    1980
    Brasil- A Falta que Ela me Faz, Fernando Sabino
    Estados Unidos- A identidade Bourne, Robert Ludlum
    1981
    Brasil- Crônicas de uma morte anunciada, Gabriel García Márquez
    Estados Unidos- Os Rebeldes, James Michener
    1982
    Brasil – O Analista de Bagé, Luis Fernando Veríssimo
    Estados Unidos – O Mosaico de Parsifal, Robert Ludlum
    1983
    Brasil – A Velhinha de Taubaté, Luis Fernando Veríssimo
    Estados Unidos – A Garota do Tambor, John Le Carré
    1984
    Brasil – Tocaia Grande, Jorge Amado
    Estados Unidos – Operação Aquitânia, Robert Ludlum
    1985
    Brasil – A Insustentável Leveza do Ser, Milan Kundera
    Estados Unidos – Tripulação de Esqueletos, Stephen King
    1986
    Brasil – A Insustentável Leveza do Ser, Milan Kundera
    Estados Unidos – A Coisa, Stephen King
    1987
    Brasil – As Brumas de Avalon, Marion Zimmer Bradley
    Estados Unidos – O Preço do Amor, Danielle Steel
    1988
    Brasil – As Brumas de Avalon, Marion Zimmer Bradley
    Estados Unidos – O Cardeal do Kremlin, Tom Clancy
    1989
    Brasil – As Areias do Tempo, Sidney Sheldon
    Estados Unidos – A casa da Rússia, John Le Carré

    ANOS 90

    1990
    Brasil – Diário de um Mago, Paulo Coelho
    Estados Unidos – O Ônus da Prova, Scott Turow
    1991
    Brasil – O Alquimista, Paulo Coelho
    Estados Unidos – Scarlett, Alexandra Ripley
    1992
    Brasil – O Alquimista, Paulo Coelho
    Estados Unidos- O Dossiê pelicano, John Grisham
    1993
    Brasil – Noite sobre as Águas, Ken Follett
    Estados Unidos – As Pontes de Madison, Robert James Waller
    1994
    Brasil – Brida, Paulo Coelho
    Estados Unidos – A Profecia Celestina, James Redfield
    1995
    Brasil – Comédias da Vida Privada, Luis Fernando Veríssimo
    Estados Unidos – A Profecia Celestine, James Redfield
    1996
    Brasil – O Mundo de Sofia, Jostein Gaarder
    Estados Unidos – Segredos do Poder, Joe Klein
    1997
    Brasil – O Mundo de Sofia, Jostein Gaarder
    Estados Unidos – A Montanha Gelada, Charles Frazier
    1998
    Brasil – O Livro das Virtudes para Crianças, William j. bennett
    Estados Unidos – O Advogado, John Grisham
    1999
    Brasil – O Homem que Matou Getúlio Vargas, Jô Soares
    Estados Unidos – O Testamento, John Grisham

    ANOS 2000 EM DIANTE

    2000
    Brasil – Harry Potter e a Pedra Filosofal, J.K Rowling
    Estados Unidos – A Confraria, John Grisham
    2001
    Brasil – Harry Potter e a Pedra Filosofal, J.K. Rowling
    Estados Unidos – O diário de Suzana para Nicolas, James Patterson
    2002
    Brasil – Harry Potter e a Câmara Secreta, J.K. Rowling
    Estados Unidos – The Lovely Bones, Alice Sebold
    2003
    Brasil – Onze Minutos, Paulo Coelho
    Estados Unidos – O Código da Vinci, Dan Brown
    2004
    Brasil – Budapeste, Chico Buarque
    Estados Unidos – O Código da Vinci, Dan Brown
    2005
    Brasil – Fortaleza Digital, Dan Brown
    Estados Unidos – O Corretor, John Grisham
    2006
    Brasil – Quando Nietzsche Chorou, Irvin D. Yalom
    Estados Unidos – For One More Day, Mitch Albom
    2007
    Brasil – A Cidade do Sol, Khaled Hosseini
    Estados Unidos – A Cidade Do Sol, Khaled Hosseini
    2008
    Brasil – A Menina que Roubava Livros, Markus Zusak
    Estados Unidos – O Recurso, por John Grisham
    2009
    Brasil – A Cabana, William Young
    Estados Unidos – O Símbolo Perdido, Dan Brown
    2010
    Brasil – A Cabana, William P. Young
    Estados Unidos – A Rainha do Castelo de Ar, Stieg Larsson
    2011
    Brasil – A Guerra dos Tronos, George R. R. Martin
    Estados Unidos – A Resposta, Kathryn Stockett
    2012
    Brasil – A Escolha, de Nicholas Sparks
    Estados Unidos – Cinquenta Tons de Cinza, E. L. James
    2013
    Brasil – Inferno, Dan Brown
    Estados Unidos – Um Porto Seguro, Nicholas Sparks
    2014
    Brasil – A Culpa é das Estrelas, John Green
    Estados Unidos – O Pintassilgo, Donna Tartt
    2015
    Brasil – O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry
    Estados Unidos – A Garota no Trem, Paula Hawkins
    2016
    Brasil - Como eu era antes de você, Jojo Moyes
    Estados Unidos - A Garota no Trem, Paula Hawkins

    Resenha: Não se apega, não

  • Editora: Intrínseca
  • Autora: Isabela Feitas
  • Páginas: 158
  • Titulo Original: Não se apega, não
  • Skoob


  • Não Se Apega, NãoDesapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. O amor vem pros distraídos.

    Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar um namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal PER-FEI-TO! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.

    Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, das tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.

    Eu preciso não precisar de nada

    O livro narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.
     Se você se apega muito ao passado, está destinado a revivê-lo todos os dias.

    Isabela, uma garota de 22 anos, termina um namoro de 2 anos com o cara que era considerado "o príncipe", mas que estava longe de ser um bom namorado. Depois de passar por julgamentos por terminar um namoro "perfeito", Isabela começa a questionar os motivos que a levaram a insistir num namoro - que para os outros era maravilhoso -, mas para ela era algo infeliz. 

    Mas não posso aceitar  ideia de total dependência de um namorado; eu preciso aprender a viver sem estar com alguém ao meu lado

    Uma leitura que nos faz questionar: "Até que ponto precisamos de uma pessoa para nos sentirmos felizes?", "Até que ponto estamos dispostos a aceitar qualquer um só para ter uma pessoa, mas não um amor?" 

    Querido cupido, desejo que você morra atingido pela própria flecha.

    Essas reflexões acerca do texto e do tema, o amor, vieram como um tapa na cara desta blogueira que vos escreve. Afinal de contas, ser solteira é algo tão ruim? Sustentamos uma máscara de "olhe, sou autossuficiente", mas a verdade é que estamos olhando para os lados a procura de algum par de olhos brilhantes em nossa direção. 

    Eu não preciso ser a "única" de ninguém. Preciso ser a única de mim!

    Ao avançar na leitura vamos nos defrontando com situações e encorajamentos que nos motivam a ser quem somos, ter paciência e nos curtir. Sim, porque para amar alguém precisamos nos amar/curtir primeiro. 

    O livro não revela uma fórmula mágica para superar conflitos amorosos, nada disso. Pelo contrário, motiva-nos a aprender com os erros e burradas. 

    Precisamos de decepções para amadurecer.

      Recomendo a leitura, muitíssimo. A capa é super fofa, e o texto é de fácil compreensão. Isabela usa de uma linguagem coloquial, como se estivesse conversando pessoalmente conosco. Indicado#